Extintor de incêndio para lítio

 

Para quem não tem conhecimentos específicos sobre o que ocasiona um incêndio, olhando de fora, todos eles parecem iguais. Porém, algo muito importante a se observar é que as origens dos focos de fogo impactam diretamente na forma como serão combatidos e controlados.

O que causa o incêndio é de extrema importância pois, ao usar os produtos incorretos para combater sua propagação, o efeito pode ser exatamente o oposto, acelerando seu espalhamento. Pensando nisso, além dos tipos mais conhecidos de classes de incêndio, é preciso entender inclusive dos pouco comuns, como o incêndio de classe D, em metais pirofóricos, que conta com um procedimento bastante próprio para combate.

Extintor para lítio e incêndio classe D

O incêndio de classe D é menos presente em nosso dia a dia, porém é preciso tomar muito cuidado com ele, já que são um dos mais perigosos e de difícil controle, principalmente pela presença de metais em sua composição que facilmente entram em combustão. Eles são causados por elementos pirofóricos, que entram em combustão quando são partículas finas mesmo que não tenha nada que cause sua ignição.

Em função da crescente demanda por equipamentos eletrônicos, além de carros elétricos, houve um aumento importante na produção e armazenamento de baterias de lítio. Alguns equipamentos inclusive tiveram grande repercussão por problemas com suas baterias.

Não é possível de controlar incêndios em metais pirofóricos com água, como em muitos casos, uma vez que ela pode ter efeito inverso e propagar mais ainda o foco de fogo. Neste caso, o tipo de extintor ideal é o de classe D, que tem pó químico especial, para cada tipo de metal pirofórico.

Como usar o extintor para lítio

Este tipo de extintor age por abafamento, depositando no fogo um componente específico para este metal. Esse pó isola o metal que originou o incêndio do oxigênio por meio de deposição e, assim extingui as chamas.

Este tipo de extintor pode vir em versão portátil, com carga de 9kg, e também em versão sobre rodas e com 50kg, com pressurização indireta. Ele é pintado de amarelo para poder ser distinguido em locais com extintores comuns.

Agora que você já sabe sobre tudo sobre os extintores de incêndio para combate a incêndio em lítio, a Bucka pode ajudar você a escolher o sistema que for mais adequado para uso apropriado desse extintor no combate a incêndios no seu empreendimento. Somos uma empresa especializada e dedicada ao desenvolvimento e aprimoramento de sistemas de prevenção e combate a incêndios e poderemos ajudar você a fazer a escolha certa.

Comentários

6 Comentários

  1. Carlos Belbet disse:

    Olá! Gostei da matéria sobre o lítio e gostaria de saber mais.
    Porque vcs escolheram o extintor de classe D para o lítio? ele é pirofórico?
    Obrigado!

    • Equipe Bucka disse:

      Carlos, o Lítio é considerado um metal pirofórico e o mais importante é que o agente extintor necessário para o combate deste incêndio é específico! Por isso na hora de comprar um extintor classe D, certifique-se que ele é próprio para este risco.

  2. Nilton Novaes disse:

    Boa tarde, prezados.

    Preciso proteger uma sala de baterias dentro de uma subestação elétrica. Apenas 01 extintor portátil de 9 Kgs., será suficiente.
    Qual o custo desse extintor?

    At.

    Nilton

    • Equipe Bucka disse:

      Olá Nilton. Para combater um princípio de incêndio, um extintor portátil seria suficiente, dependendo das dimensões da sala e do número de acessos. O modelo sobre rodas permite combater incêndios maiores.

  3. tiago weber disse:

    Bom dia!
    Muito bom o artigo.
    Fico com uma dúvida, quando tratamos de baterias de lítio – existe a diferença entre metal de lítio e íons de lítio.
    Qual a diferença no combate para esses dois tipos de baterias?
    O extintor tipo AVD (com vermiculita laminar) seria mais apropriado para íons de lítio?
    Vocês trabalham com tal equipamento?
    Muito agardecido.
    Tiago

    • Equipe Bucka disse:

      Olá Thiago, tudo bem?

      O risco inerente aos bancos de baterias é relativamente novo e estudos vem sendo realizado, mas ainda não existe uma norma especifica para esta aplicação.

      Os ions de lítio são diferentes do metal lítio, o metal lítio é um risco classe D e deve ser protegido com agentes químicos apropriados para este metal pirofórico.

      Já as baterias de ion de lítio não são classificadas como classe D e podem ser protegidas com uma gama maior de filosofias de combate. Mas os principais riscos são as chamas que são formadas na queima do equipamento e o alto aquecimento interno da reação química gerada no incêndio da bateria.

      Caso tenha interesse, podemos estudar o risco que vocês possuem e propor uma solução adequada, mas para isso precisaríamos ter acesso ao projeto do local e saber quais baterias serão armazenadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *