Quais são as principais causas de incêndios?

Um incêndio pode começar por inúmeros motivos e é muito importante saber a sua origem seja para fins legais, estatísticos ou prevencionistas. Primeiramente, é importante saber que as causas podem ser de dois tipos:

  1. Causas naturais: Neste caso, o incêndio é originado por meio dos fenômenos da natureza, os quais agem por si só, totalmente independentes da vontade humana.
  2. Causas artificiais: Acontece quando o incêndio ocorre pela ação humana, ou pela negligência ao tomar as devidas medidas de precaução:
  • Acidental: Proveniente do descuido, embora não tenha sido intencional;
  • Proposital: Origem criminosa, ou seja, ocorreu intencionalmente;

Principais causas de incêndios

Principais causas de incêndios

1. Eletricidade

  • Excesso de carga: Utilização de conexões múltiplas (“tê” ou “benjamim”) para alimentar vários aparelhos elétricos, causando superaquecimento dos condutores que não foram calculados para suportar cargas excessivas;
  • Curto circuito: Instalação defeituosa, estabelecendo contato entre a fase positiva e a negativa, gerando centelhas, altíssima temperatura e superaquecimento do condutor;
  • Contato imperfeito (mau contato): Conexões imperfeitas com produção de centelhas ou superaquecimento;
  • Fusíveis e dijuntores: São dispositivos para proteger a instalação elétrica. Sua ausência ou o seu dimensionamento incorreto podem acarretar incêndios;
  • Superaquecimento: Aparelhos elétricos deixados em funcionamento, que atingindo materiais de fácil combustão, provocam incêndio;

2. Chama exposta

Trata-se do contato da chama com qualquer material, provocando aquecimento capaz de gaseificar o combustível, iniciando a combustão. Aí se enquadram as pontas de cigarro, velas, palitos de fósforos acesos, balões, fogos de artifícios etc.

3. Centelha ou Faísca

Partícula que salta de uma substância candente ou em atrito com outro corpo; fenômeno luminoso que acompanha uma descarga elétrica.

4. Atrito

Transformação de energia mecânica em calor, por meio de fricção de dois materiais. Ocorre em mancais, rolamentos, esteiras, polias etc, desde que não estejam suficientemente lubrificados.

5. Combustão Espontânea

As fibras de juta, resíduos de algodão, feno, carvão, panos ou estopas impregnados de óleo vegetal, pólvora e certos produtos químicos estão sujeitos a inflamar-se sem o contato de uma fonte externa de carlor. Para reduzir os riscos, deve-se obedecer às normas de estocagem e exercer fiscalização e controle.

6. Vasilhames de Líquidos Inflamáveis Abertos ou Mal Fechados

Os vapores desprendidos podem se espalhar por uma grande área até atingir uma fonte de ignição, causando explosão e/ou incêndio.

7. Gás de Cozinha

Acidentes, normalmente causados por vazamentos em instalações irregulares ou defeituosas, ou ainda por reparos feitos por pessoal não especializado.

8. Convergência Luminosa

A luz e o calor solar incidente, em uma lente convergente, concentra-se em um só ponto, podendo ser uma causa de incêndio.

Incêndios Florestais, por exemplo, podem ter origem em casos de vidro lançados na mata, que funcionam como lentes convergentes ao sofrer ação da luz solar. A luz concentrada pode incidir sobre a vegetação seca, irrompendo o incêndio.

Comentários

3 Comentários

  1. Mari disse:

    Gostei do post, assunto interessante. Gente, voc

  2. silvana disse:

    gostei do post,me ajudou bastante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *