Desafios em Sistemas de Incêndio em embarcações e plataformas

O sistema de combate a incêndios dentro da indústria naval é um desafio constante. A 29falta de engenheiros qualificados dificulta ações deste tipo e a busca pela segurança torna-se difícil e cara.

Por isso, para exercer um bom trabalho, eficiente e realmente seguro, por vezes é preciso reunir especialistas de diversos países, em busca de soluções. Dentre os locais e instituições com destaques na área estão:  Reino Unido, EUA, Canadá, Austrália, Alemanha, Hong Kong, Dinamarca, Noruega e Cingapura. Organizações como IMO, Institute of Marine EngineersScience & Technology, Fire Industry Association,International Marine Purchasing Association, Shipbuilders & Suppliers Association no Reino Unido e NFPA e UL nos EUA. Além das sociedades classificadores que também possuem suas próprias normativas (SOLAS, DNV, LLOYDS, etc).

Sistemas de Incêndio que não deram certo

Apesar dos inúmeros avanços na área, alguns casos problemáticos já encontrados merecem destaque:

– Sistemas de combate a incêndio por NOVEC 1230, mas carregados com água.

– Sistemas de gás de alta pressão sem dispositivos de atuação.

– Balanças de banheiro montadas nos cilindros de CO2, em um esforço para cumprir com os regulamentos SOLAS.

– Manômetros de baixa qualidade apresentando defeitos pela umidade ou fadiga mecânica.

– Travas de segurança mantidas em posição nas válvulas dos cilindros após a instalação.

– Sistemas de CO2, com uma estimativa de que 20% dos cilindros instalados estejam vazios ou parcialmente carregados.

– Cilindros com excesso de carga e com pouca carga.

– Tubulações e cilindros recém pintados, mas com corrosão interna severa, causando bloqueio dos difusores por partículas de ferrugem.

– Agentes extintores liquefeitos confundidos por instaladores e clientes com gases inertes.

– Empresas de navegação que não implementam o código FSS dos regulamentos SOLAS da IMO.

Esse tipo de solução alternativa já causou diversos acidentes e colocou vidas em risco.

Para soluções seguras em sistemas de combate a incêndios para a área naval, não deixe de consultar a Bucka e seu departamento de Engenharia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *