Incêndios em galpões

É com certa constância que somos informados a respeito de ocorrências de incêndios em galpões, principalmente próximos aos portos. Isso acontece pois muitas vezes esses locais armazenam materiais de rápida combustão de maneira equivocada, além de não prestarem atenção às necessidades básicas para a prevenção de incêndios.

Os armazéns de açúcar são um dos exemplos de emergências em galpões, com alguns casos recentes no Estado de São Paulo. Pela granulometria e acumulo de material, podem ocorrer explosões geradas por material em suspensão e presença de fonte de ignição.

Por ser o material mais comumente empregado em embalagens o papelão ondulado representa um grande risco de incêndio em galpões. Embora já seja comum para o mercado aceitar esse tipo de risco de incêndio nas empresas, é necessário que se tenha um sistema de prevenção, para que o fogo não se espalhe e não venha a atingir casas ou edificações próximas, além de proteger a carga do armazém.

Um dos métodos mais usados para prevenção, além dos extintores portáteis e sobre rodas, hidrantes e mangueiras, é a instalação de sprinklers de teto dentro das prateleiras (in-rack).

Outro método muito usado em edificações como essas é a compartimentação, que nada mais é do que a divisão do armazém em áreas cercadas por paredes e portas corta-fogo, além de saídas estratégicas em caso de evacuação do ambiente. Tudo isso impede que as chamas alastrem-se para as outras áreas, além de garantir a segurança dos funcionários.

E não se esqueça: mesmo com uma brigada de incêndio treinada no local, sempre chame o Corpo de Bombeiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *