Sistema de combate a incêndio para a subestação elétrica

O projeto da planta e design da estrutura do prédio desempenha um papel importante na redução de propagação do fogo e efeito de explosões.

Por exemplo, equipamentos e prédios devem ser estruturados para ter alívios que se rompem antes de permitirem que a explosão seja capaz de danificar a estrutura principal, por isso, nunca devem ser obstruídas.

Na prevenção de incêndios, limpeza e ordem são fatores essenciais, bem como a manutenção frequente das ferramentas e sistemas de incêndio.

A maioria das falhas é causada por descuido e/ou equipamento defeituoso.

A escolha do equipamento de combate à incêndios depende de sua completa adaptação à parte elétrica do local, bem como seu custo final e a importância dos acessórios elétricos em questão. Os mais recomendados são: gás carônico (CO2), FM-200 ou Novec 1230.

Além do sistema fixo, a instalação deve contemplar:

  • Extintores de incêndio;
  • Mangueiras de incêndio;
  • Portas corta-fogo, que é um dos meios mais importantes na limitação da propagação do fogo, bem como sistemas de ventilação.

Cabeamento inadequado também pode ser causa de incêndios graves com risco de danos à instalação e perigo para as pessoas. Os acessórios de corrente contínua (baterias UPS) são uma parte particularmente importante e vulnerável de qualquer instalação. Eles são derivados de baterias fixas que liberam gases inflamáveis e tóxicos.

As baterias devem estar em uma sala separada com um piso resistente à ácidos, embaixo de uma iluminação propícia e com abastecimento de água adequado. É aconselhável ter um sistema de drenagem resistente ao ácido, e o quarto deve ser bem ventilado, mas a luz solar não deve ser direcionada diretamente para as baterias.

Considerações sobre segurança contra incêndios em subestações

Os principais riscos de incêndio e as dificuldades em suas detecções surgem como resultado das seguintes situações:

  • Arcos elétricos e acúmulo de carga elétrica estática dentro do equipamento.
  • Superaquecimento do equipamento de controle elétrico, válvula e cabeamento.
  • Um vez iniciado, um incêndio pode rapidamente se alastrar devido à presença de uma quantidade grande de material combustível na forma de hidrocarbono, que fica nos cabeamentos e isolamentos.
  • O ambiente dentro das áreas de fornecimento de energia ininterrupta (salas de baterias) pode tornar-se explosivo por causa do acúmulo de altas concentrações de gás hidrogênio.
  • As subestações são geralmente não ocupadas, assim, a intervenção precoce pode não ser possível em caso de um incêndio.
  • Alta movimentação de ar no local, causada pelo uso de ar condicionado, atenua e dispersa a fumaça.
  • Valas subterrâneas que ligam as principais áreas da subestação são considerados ambientes agressivos. Altos níveis de poluição presentes nessas áreas afetarão ativamente o funcionamento dos detectores.

A Bucka conta com os melhores sistemas de incêndio para subestações, entre em contato!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *