Sistemas de espuma e resfriamento

 

Sistemas de espuma

Sistemas de espuma e resfriamento são sistemas de combate a incêndio que fazem parte de projetos de engenharia de incêndio e que podem trabalhar com câmaras de espuma, canhões monitores, proporcionadores de LGE, bicos aspersores de média e alta velocidade, entre outros.

Os projetos de Engenharia de Incêndio, aplicados aos dimensionamentos dos sistemas de espuma e resfriamento são muito utilizados na extinção de incêndios envolvendo líquidos combustíveis e inflamáveis (hidrocarbonetos ou solventes polares), como a gasolina, o querosene, óleo diesel e álcool, por exemplo. Estes projetos contemplam o dimensionamento das bombas, diâmetros e encaminhamento de tubulações e as reservas de LGE (líquido gerador de espuma). Os sistemas de espuma combatem o fogo por meio do abafamento, já que a espuma interrompe o contato do líquido inflamável com o oxigênio, eliminando uma das arestas do tetraedro do fogo.

Mas não é somente no combate a incêndios que o sistema de espuma se faz necessário. Eles também podem ser utilizados na prevenção de incêndios, no caso de ocorrer algum vazamento de líquido inflamável. Nessas situações, a espuma gerada de baixa densidade será aplicada sobre o produto derramado, impedindo a liberação de vapores que sejam inflamáveis, para a atmosfera, minimizando o risco de incêndios.

Normalmente, os sistemas de espuma são aplicados em refinarias, áreas de carregamento de combustível, de bacias de contenção, hangares, aeroportos, tanques de estocagem, plataformas, indústrias químicas e petroquímicas, estações de bombeamento e armazéns de combustíveis. Contudo, para que o combate a incêndio em líquidos inflamáveis seja realmente efetivo, é necessário que se faça uso também de um sistema de proporcionamento adequado. Esses sistemas têm a capacidade de dosar o LGE na água de incêndio, normalmente nas proporções de 1%, 3% ou 6%.

O mesmo acontece com um sistema de dilúvio com adição de espuma, em comparação com um sistema de dilúvio convencional. Após a detecção da área que exige proteção, ocorre a abertura da válvula de dilúvio, liberando, o proporcionamento de LGE, proveniente de um tanque de armazenagem que pode ser tanto atmosférico, quanto diafragma (bladder tank), dependendo do sistema de proporcionamento utilizado.

 

Comentários

4 Comentários

  1. Julio Bianchi disse:

    Preciso de projeto de espuma e resfriamento para uma revenda de GLP para 55000kg.
    Podem me ajudar? Tenho o projeto do local em CAD.
    Saudações
    Julio Bianchi

  2. Gonçalo Santana Baicere disse:

    Estou com dúvidas em como dimensionar os orificios, bem como o número dos aspersores que circundam o tanque vertical de armazenagem de combustiveis. Existe algum catálogo.
    Grato Gonçalo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *