O Extintor Classe K e os incêndios em cozinhas

Incêndios que envolvem meios usados para cozinhar, como óleo de cozinha, gordura e a banha, já por algum tempo, têm sido o principal fator de danos materiais, tendo provocado vítimas fatais ou não.

Com o tempo, a evolução e a alta eficiência dos equipamentos de cozinhas industriais e comerciais, somadas ao uso de óleos não saturados e a altas temperaturas contribuíram para o aumento significativo dos riscos de incêndios mais fortes, o que forçou à criação de uma nova classificação para incêndios, como os desse tipo: a classe K de incêndios.

Se compararmos com líquidos inflamáveis, veremos que incêndios em cozinhas industriais e fritadeiras, em particular, são unicamente diferentes e bem mais difíceis de apagar, o que ajudou na criação dessa nova categoria de incêndios. Nesse caso, a extinção do fogo se dá porque todo o meio de cozinhar, animal ou vegetal, líquido ou sólido, que possa provocar o início de um incêndio, contém um certo nível de gordura saturada que, ao entrar em contato com um agente extintor de base alcalina (como o extintor classe K), à altas temperaturas, provoca uma reação, chamada de saponificação. Essa reação forma uma espuma, que consegue abafar o fogo e conter os vapores inflamáveis e o combustível quente.

A Bucka desenvolveu o agente saponificante de classe K, batizado de Komet-K. Este agente, ao ser aplicado com uma névoa fina, apresenta a vantagem de poder resfriar o meio de cozimento e, assim, abaixar a temperatura, tornando-se o agente Komet-K mais eficiente, para combater esse tipo de incêndio.

Os extintores de classe K ainda são reconhecidos como os mais eficientes para a proteção de operações de cozinhas industriais, e são altamente recomendados por normas internacionais, como a NFPA 10, desde de sua versão do ano de 1998.

A Bucka oferece o extintor classe K, na versão portátil modelo MPK-6, com carga de seis litros. Veja o link abaixo para mais informações:

Extintor Classe K

Além disso, para proteção automática, a Bucka desenvolveu o sistema classe K VELOZ. Este sistema, indicado para cozinhas profissionais, atua automaticamente através de detectores de temperatura ou manualmente pelo operador. A proteção com o sistema VELOZ abrange tanto a coifa quanto o duto, dispensando o uso do CO2 para esta aplicação. Este sistema é fornecido com cilindros em aço inox carregados com 15 ou 23 litros de agente Komet-K.

Vale lembrar que o uso do CO2 para proteção da coifa é vedado pela norma NBR 14518  – item 5.5.4.1.6. e a IT 38/2004 do Corpo de Bombeiros do estado de São Paulo.

Para mais detalhes sobre o sistema VELOZ® com agente químico saponificante úmido acesse o link:

Sistema VELOZ® para cozinhas industriais

Comentários

25 Comentários

  1. Patricia Carla Buono disse:

    Parabénns por compartilhar a informação. Grande abraço e continuamos juntos nesta Missão. Att, BC Patricia (Recife/PE)

  2. Dônio Raimundo da Silva disse:

    Bom dia!

    Gostei muito das informações passadas por vocês. Me ajudou bastante a conhecer um pouco mais sobre o extintor da cvlasse K.

    Gostaria de receber mais informações sobre os demais extintores que vocês tem. Principalmente os que atendem a classe D e classe E (materiais radioativos).

    obrigado,

    Dônio Silva

  3. José Venceslau de Souza disse:

    Gostaria de saber qual a norma, NBR ou NR que regulamenta a fabricacao e o uso deste extintor no Brasil; pois pelo que sabemos, este tipo de extintor nao é homologado no Brasil; e, a classe para a qual ele está sendo indicado, é extinta com o PÓ quimico ou pelo CO2.
    Grato.
    Venceslau.

    • Bucka disse:

      Prezado José Venceslau. De fato hoje no Brasil não há uma norma que regule este equipamento. Apesar dos extintores de pó químico ou CO2 serem aptos a extinguir incêndios classe B, o fogo em cozinhas, mais precisamente em óleos e gorduras pode sofrer reignição e por isso a espuma formada pelo agente saponificante é a única que garante uma extinção mais eficiente e segura deste tipo de risco.

  4. Severino Lira disse:

    Bom dia
    No Brasil qual é a norma que regula esse agente extintor?

    Atenciosamente
    Severino Lira

    • Bucka disse:

      Prezado Severino. Hoje no Brasil não temos uma norma que aborde este equipamento, por isso seguimos as definições da NFPA e UL na fabricação do nosso equipamento.

  5. Alex Moraes( Brigada de Incendio CPA-Central de produção de alimentos) SESI-DF Brasília. disse:

    Gostaria de saber mais informações sobre a matéria e se possível algo que eu possa repassar para os Brigadistas dessa unidade afim de agregar mais conhecimentos nesta área. Se possível seria interessante algumas informações ilustrativas pra que possamos apresentar em um datashow.
    Obrigado
    Alex Moraes
    BRIGADA/SESI-DF

  6. vanderlei eckert spohr disse:

    ola, gostaria de saber quais os tamanhos e o valor de mercado e da recarga do extintor da classe K, muito obrigado.

    • Bucka disse:

      Olá Vanderlei,

      nossa equipe entrou em contato por e-mail a respeito dos valores do extintor classe K.

      Estamos a disposição casa haja quaisquer outras dúvidas.
      Atenciosamente,

      Bucka.

  7. Ronaldo Vilela disse:

    Olá bom dia, acompanho vocês a um bom tempo, quando possível costumo comprar equipamentos da sua marca.

    Adorei a matéria que fala da extinção via classe K.

    at.

  8. Bianca disse:

    Por favor, gostaria de saber se existe uma norma regulamentado brasileira para o extintor de incêndio classe K.
    desde já, Obrigada!

    • Bucka disse:

      Olá Bianca,

      Ainda não, mas na nova versão da IT do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo será recomendado o uso do extintor classe K, o que possivelmente irá levar futuramente a uma revisão da ABNT NBR 15808 (Extintores portáteis). Assim que houver qualquer novidade postaremos no nosso blog.

      Qualquer dúvida, favor deixar um novo comentário!

  9. Jorge disse:

    prezados boa tarde,
    Gostaria de saber o período de validade desse agente extintor classe “K” (Saponificante)

  10. Carlos nunes disse:

    Bom dia. Sobre extintores classe k. Gostaria de receber folder ou material de explicacao. E preco. E locais onde podemos fazer a recarga como vcs comentaram 5 anos para os fixos e 3 anos para os de manuseio e transporte. Muito grato carlos

  11. Jaqueline disse:

    Boa tarde;

    Em um armazenamento de óleo saturado, qual o extintor devo utilizar?

    Extintor classe K ou Classe ABC?

    Desde de já agradeço!

    • Atendimento | Bucka disse:

      Jaqueline, para este caso precisamos avalias as condições de armazenamento. O extintor de espuma mecânica também pode ser uma opção. Entre em contato com a nossa Engenharia!

  12. SIDNEY ALEXANDRINO DA SILVA disse:

    Boa tarde!

    Essa classe k (saponificante) não é regulamentada no Brasil, logo todas as cozinhas no Brasil não tem a obrigatoriedade de terem esse tipo de extintor. Vale apenas aderir pela eficiência informada! Gostaria de conhecer melhor esse produto. É possível enviar para o e-mail cadastrado mais informações?

    • Atendimento | Bucka disse:

      Sidney, de fato a ABNT ainda não publicou uma norma que regulamente esta classe de incêndio. Por outro lado, segurança não deve ser analisada apenas do ponto de vista do que é ou não obrigatório, por isso recomendamos o uso deste tipo de agente para proteção de cozinhas industriais. Quem já viu um fogo em óleo e gordura e a dificuldade de extinção sabe do que estou falando!

  13. Renan Coelho disse:

    Qual o custo de aquisição de um extintor desse?
    Qual o custo de manutenção?
    E a periodicidade da manutenção?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *